Como Será 2016?

Na condição de consultor em Numerologia Cabalística, e com a responsabilidade de quem está ensinando esta ciência com a seriedade que ela merece, as considerações que eu faço neste artigo são, talvez, as menos atraentes para aqueles que esperam por previsões mágicas e por fórmulas prontas para resolver seus problemas, ou ganhar dinheiro fácil, mas com certeza despertarão mais consciência naqueles que estão efetivamente buscando por seu autoconhecimento.


Antes, nós precisamos entender que somos nós que estabelecemos os padrões das relações que nos colocam em sintonia dentro de uma sociedade e no mundo, e conforme eles são estabelecidos seguem pelos seus próprios ciclos. Nossos mundos interiores estabelecem o padrão de mundo exterior que criamos. E nossos mundos interiores são feitos de crenças, conceitos, ideias, atitudes, pensamentos, sentimentos, e talvez muito mais que só isso.
 
Cada ano tem a marca única estabelecida pelo padrão da unificação de nossos mundos interiores, conforme estabelece o calendário que nós seguimos, e se reflete como o meio pelo qual nos sintonizamos uns com os outros num mesmo padrão de aprendizados e de oportunidades, durante o período. Mas isso pode ser diferente, para diferentes calendários, pois são eles que estabelecem os patamares nos quais nos situamos.
 
Cada ano traz uma proposição de crescimento e evolução; uma ordem peculiar de lições a serem estudadas na escola da vida, de resoluções e de oportunidades. Em geral nós não seguimos a essa ordem, e como consequência disso empregamos mais energia que o necessário para alcançar nossos objetivos, do que se observássemos a essas oscilações aproveitando melhor a força dos ventos favoráveis ajustando as velas do nosso barco vida nas posições certas.
 
Mas, como nós nos desconectamos dessa fonte da sabedoria ao acreditarmos na ideia da autossuficiência, nosso pequeno ego se tornou nosso orientador na vida e nas nossas escolhas. O ego tem função coadjuvante, importante para nós, mas nunca pode ser o centro em torno do qual orbita nossa vida. O super desenvolvido ego nos levou a pensar que somos autossuficientes; com isso nós criamos a separação e nos tornamos especialistas quando deveríamos ser complementaristas – eu só me completo no outro; todos formamos um único organismo pulsante de vida e amor.
 
No âmbito geral da coletividade, 2016 será um ano desafiador para as mudanças que estão ocorrendo no mundo, principalmente na parte ocidental do planeta, regida pelo calendário gregoriano – 2016 é ano universal 9 (2+0+1+6=9).
 
E o nosso maior desafio, nesse ano 9, talvez seja vencer nosso próprio egoísmo, e olhar para além das fronteiras que traçamos entre nós e os outros e perceber que temos sorte de estarmos juntos, em irmandade universal, aprimorando nosso sentimento de solidariedade para nos possibilitar sermos mais humanos. Condição esta que nos falta muito ainda. É só observar como reagimos diante das contrariedades, frustrações, ofensas e da nossa dificuldade em aceitar a diversidade. Os julgamentos estarão em cheque nesse ano 9, pelo ponto de vista da igualdade que nos une no senso de humanidade.
 
O número 9 está ligado à sabedoria, à humanidade, à compaixão, ao amadurecimento psicológico e espiritual. Ele nos traz as oportunidades para aprender a lidar com esses sentimentos mais elevados da alma humana; praticar o desapego e a incondicionalidade, no perdão e no amor, e colocar os pontos finais em tudo que precisa ser encerrado ou deixado para trás antes de adentrar em novo ciclo.
 
É ano de conclusões, tanto no âmbito das finalizações quanto das resoluções e resultados. Um ano para se avaliar como foi nosso desempenho coletivo durante o ciclo todo, desde 2008 (ano 1 desse ciclo) até 2016 (ano 9), e tomar as resoluções que nos orientarão não só para o ano 2016, mas para os próximos nove anos do novo ciclo que começará em 2017. Portanto, 2016 transcende sua importância local, para abranger a avaliação de todo um ciclo de nove anos que se encerra, bem como a preparação do que se abre em 2017. Daí ser um ano decisivo para nossa humanidade. Lembrando que estamos falando do âmbito coletivo.
 
Em 2016 teremos mais luz e mais sabedoria ao nosso alcance. Será o ano da compaixão; favorecendo a expansão da consciência humana pelos estudos e autoconhecimento. E nos será cobrado pelas finalizações dos processos dos ajustes perante a lei de causa e efeito, que estiveram na pauta de 2015 quando tivemos oportunidade de nos confrontar com a sombra coletiva, no ano 8 regido pela justiça – agora na renovação das nossas atitudes.
 
O nosso senso de solidariedade estará sendo posto à prova durante todo o ano de 2016, e nós seremos convidados a assumir novas atitudes e mais responsabilidades diante dos outros, da coletividade, aprendendo a colaborar e a compartilhar conhecimentos e talentos para o progresso de todos. Ano universal 9 vem nos solicitar a humanização através do desenvolvimento da compaixão.
 
Nós estamos mais entrelaçados que imaginamos, e precisamos entender isso de uma vez por todas. Nosso egocentrismo, egoísmo e egotismo só servem para a manutenção do velho paradigma que estamos seguindo no mundo, baseado na ideia de que, “para eu ter preciso tirar de alguém, para eu ganhar preciso competir, para eu ser bem sucedido preciso pisar nos outros”. Tudo isso está em franco processo de mudança, só esperando por nossas novas atitudes para se expandir e se consolidar definitivamente no mundo – 2016 nos impele decisivamente a nos humanizar.
 

E nos convida a estabelecer as bases das nossas relações no mundo, em todas as áreas de relacionamentos, sobre um novo paradigma sustentado na colaboração mútua e no compartilhamento dos conhecimentos, para gerar a abundância suficiente para todos.  Isso não é socialismo, nem qualquer outra forma de “ismo”, porque as soluções para os nossos problemas na humanidade não virão pela via da distribuição gratuita das riquezas; ela acontecerá pela via da colaboração, do compartilhamento, da solidariedade como forças inspiradoras, estimuladoras e impulsionadoras do progresso humano. Feliz e próspero ano 2016!


© 2019 - Luz da Consciência