Sinceridade e honestidade são nossa vocação

Sinceridade, podemos dizer que é da natureza primordial de qualquer elemento que se expresse ou se comunique de alguma maneira, sem os artifícios dissimuladores aprendidos. E honestidade se aprende por meio de regras morais ou éticas. Sinceridade e honestidade são atitudes distintas; quando associadas produzem um mesmo efeito.

A expressão sincera do pensamento e do sentimento expõe o ser humano no que ele possui de mais belo em sua natureza de alma, não importando isso pelas suas qualidades morais. Aqui não se julga a natureza da sinceridade, mas a sua absoluta inocência; sua isenção de artifícios de quaisquer tipos. E tanto pode ser sincero um ser humano que ainda agride aos outros para se defender, ou para defender o seu território, porque vive em seu primitivismo evolutivo, quanto o mais refinado espírito humano em grau elevado de adiantamento moral.

A criança, que ainda não aprendeu sobre honestidade, se expressa com absoluta sinceridade em sua inocência, pelo menos até que aprenda a dissimular seus sentimentos para manipular os adultos em favor de seus interesses. Ela pode aprender a arte da dissimulação dos sentimentos, com os adultos, como pode despertar suas próprias reminiscências de outra personalidade, a partir da convivência com os adultos. Sob o ponto de vista mais abrangente, que considera que a criança só é criança no corpo, mas que ali naquele corpo de criança pode estar um espírito ardiloso nas manhas da manipulação de seus sentimentos para controlar os outros, esse aprendizado pode ser a recordação reminiscente de seu passado, em outra encarnação, na vestimenta de outra personalidade.   

Sinceridade e honestidade se distinguem uma por ser pura e isenta de moralidades, a outra por ser uma base de regras respeitáveis, que podem ser tanto éticas quanto não éticas.

Um homem honesto com seus princípios pode não ser sincero com seus sentimentos, embora esses princípios possam ser questionados do ponto de vista ético, ou de serem saudáveis ou não para com a sua natureza de alma.

A sinceridade está relacionada com o sentir e sua expressão é autêntica, enquanto que a honestidade está relacionada com o pensar e a forma como a atitude é elaborada e manifestada tendo em vista os códigos morais incorporados; a sinceridade é mais íntima e a honestidade é mais com os outros.

A honestidade, no entanto, alcança sua plenitude quando fundamentada na sinceridade. Ser sincero e expressar honestamente os seus sentimentos, é a essência e o princípio a todo ser humano que pretende viver em paz com a sua consciência e adentrar na iniciação espiritual; esta iniciação não permite que se viole a nossa essência, em qualquer espécie. Aqui é a experiência espiritual na humanidade, o que se tem por espiritualidade sob a sua generalidade, não especificando a nenhuma codificação espiritual em gênero.

Em todas as experiências e práticas de elevação espiritual o princípio é um só – sinceridade e honestidade, juntas.


© 2019 - Luz da Consciência